A gente sabe como funciona a vida de um profissional da área de atendimento.

Todo dia tentamos encontrar uma maneira de atender bem o cliente e resolver o problema. Mas, às vezes, a queixa não é solucionada e aí todas as tentativas acabam chegando em um lugar: na Justiça!

Mas, e se você tivesse como evitar a burocracia do judiciário brasileiro? Vamos te mostrar uma alternativa que está ganhando cada vez mais força no Brasil: a mediação!

O que é mediação

A mediação é uma forma de unir duas partes em conflito que tem o objetivo de chegarem a um acordo.

Para que esse acordo seja facilmente alcançado, a mediação conta com o apoio de um profissional independente e imparcial, que tem o papel de facilitar a comunicação, chamado de mediador.

É um jeito mais rápido, eficaz e barata de empresas e clientes se resolverem.

Muito tradicional em países como Canadá, Estados Unidos, amplamente divulgado em vários países da Europa e se consolidando na América do Sul, como na Argentina e Colômbia, a mediação vem sendo cada vez mais utilizada como a forma de resolver conflitos.

No Brasil, o método chegou com objetivo de desafogar a Justiça e desburocratizar processos. Com a Lei de Mediação em vigor, o método pode ser uma ótima alternativa, sobretudo, no âmbito do direito do consumidor.

As vantagens

A mediação é um caminho, no Brasil e no mundo, para simplificar a resolução de conflitos.

Para as empresas:

  • Mudança da sua relação com o mercado.
  • Redução de custos financeiros diretos e indiretos.
  • Melhoria de imagem, já que os envolvidos conseguem chegar a um acordo de forma amigável.
  • Fidelização dos seus clientes e parceiros de negócios.
  • Tudo é absolutamente sigiloso.

Para os consumidores:

  • Método de acesso mais fácil para a resolução dos seus problemas nas relações de consumo de produtos, serviços ou até mesmo familiares.
  • 80% mais barato que o sistema judiciário.
  • 36 vezes mais rápido que recorrer às vias judiciais.
  • O processo de mediação é simples: uma empresa convida o consumidor e, se for aceito, uma sessão de 40 minutos a uma hora pode ser suficiente para resolver tudo.

Mediador: quem é este profissional?

Qualquer pessoa capaz e graduada há pelo menos dois anos em curso de ensino superior em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação pode ser um mediador.

Precisa ser advogado, psicólogo, gerente de recursos humanos? Não! Todo profissional pode ser um mediador.

No entanto, é preciso ter capacitação reconhecida pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados – ENFAM ou pelos tribunais, nos termos dos requisitos estabelecidos pelo Conselho Nacional de Justiça e pelo Ministério da Justiça.

O papel do mediador é construir uma conversa entre as partes empoderando-lhes à tomada de suas próprias decisões, independentemente de repercutir ou não em um termo de entendimento.

Ou seja, o mediador não é quem sugere soluções ao caso muito menos quem bate o martelo. Ele é preparado para fazer com que os mediandos cheguem a um acordo.

Veja também como é feita a mediação online.

O Mediador por Reclame AQUI

Pensando nisso, o Reclame AQUI criou uma plataforma que vai ajudar a melhorar os conflitos de empresas e consumidores.

Todos os dias, 30 mil consumidores relatam seus problemas no Reclame AQUI. Dessas reclamações, 78% dos casos têm um final feliz. Agora, os 22% têm como solucionar a situação sem precisar entrar na justiça.

Funciona assim: a empresa indica os casos passíveis de mediação, sugerindo data e horário.  Os mediadores terão acesso a esses casos e poderão escolher quais eles querem mediar. Em seguida, o consumidor receberá uma notificação com as informações necessárias sobre o caso e cabe a ele aceitar ou não o convite.  Após todos estarem de acordo, em até cinco dias você tem seu problema resolvido.

Quer saber mais sobre O Mediador? É só clicar AQUI!

Fonte: Blog OMediador

Deixe uma resposta